Bandeira de Portugal – Cores, esfera armilar e escudo português

Bandeira de Portugal

Mais um artigo sobre a nossa bandeira e que vem esclarecer as suas cores, a sua esfera armilar e o seu escudo português.

Cores

A explicação para as cores verde e vermelho que compõem o campo de fundo surgiram durante o período do Estado Novo, o regime nacionalista autoritário que detinha o poder entre 1933 e 1974. Alega que o verde representa a esperança do povo português, enquanto que o vermelho representava o sangue dos que morreram servindo a nação. Fontes acreditam que esses significados nobres não correspondem à verdade e são nada mais do que propaganda, para fornecer uma justificação honrosa para sua escolha de cores.

Apesar do facto que nunca estas cores terem constituído uma parte significativa da bandeira nacional até 1910, estiveram presentes em várias bandeiras históricas durante períodos importantes. D. João I incluiu uma cruz de S. Bento de Aviz verde no bordure vermelho de sua bandeira. A cruz vermelha da Ordem de Cristo foi usada sobre um campo branco como uma flâmula naval durante os Descobrimentos e, frequentemente, em velas de navios. Uma versão de fundo verde foi um padrão popular dos rebeldes durante a revolução de 1640 que restaurou a independência de Portugal para a Espanha. Não há fontes registadas para confirmar que esta foi a origem das cores republicanas. Outra explicação dá crédito total para a bandeira que foi hasteada na varanda do salão da cidade do Porto durante a rebelião de 1891. Consistia num campo vermelho com um disco verde e a inscrição Centro Democrático Federal «15 de Novembro» , representando um dos muitos clubes de maçonaria de inspiração republicana. Durante os 20 anos seguintes, o vermelho-e-verde esteve presente em cada item republicano em Portugal.

Bandeira Portuguesa - Cores

Esfera armilar

A esfera armilar foi um importante instrumento astronómico e de navegação para os marinheiros portugueses que se aventuraram em mares desconhecidos, durante a Era dos Descobrimentos. Foi introduzido pelos Cavaleiros Templários, cujo esferaconhecimento foi essencial para os descobrimentos portugueses – Infante D. Henrique, o grande responsável do desenvolvimento da Era dos Descobrimentos, foi realmente o Grão-mestre da Ordem de Cristo. Tornou-se, assim, o símbolo do período mais importante da nação, os descobrimentos portugueses. À luz disto, D. Manuel I, que governou durante este período, incorporou a esfera armilar na sua bandeira pessoal. Foi simultaneamente utilizado como estandarte de navios que dobravam a rota entre a metrópole e o Brasil, tornando-se assim um símbolo colonial e um elemento fulcral das bandeiras do futuro reino e império brasileiro.

Acrescentando ao significado da esfera ser comum em todas as obras arquitectónicas de influência manuelina, onde é um dos principais elementos estilísticos, como visto no Mosteiro dos Jerónimos e na Torre de Belém.

Escudo português

512px-Portuguese_shield.svgO escudo português assenta sobre a esfera armilar. Excepto durante o reinado de Dom Afonso Henriques, está presente em cada bandeira histórica, de uma forma ou de outra. É o principal símbolo português, bem como um dos mais antigos, com os primeiros elementos do escudo actual a aparecerem durante o reinado de D. Sancho I. A evolução da bandeira portuguesa está inerentemente associada com a evolução do escudo.

Dentro de uma borda branca, cinco pequenos escudos azuis, com seus cinco besantes brancos representam as Cinco Chagas de Cristo quando crucificado e popularmente associadas com o “Milagre de Ourique”. A lenda associada com este milagre conta que antes da Batalha de Ourique (25 de Julho de 1139), o Anjo Custódio apareceu diante de Conde Afonso Henriques (futuro Afonso I de Portugal) como um mensageiro divino. Previu a vitória de Afonso Henriques e garantiu-lhe que Deus estava olhando por ele e seus pares. O Anjoaconselhou-o a afastar-se de seu acampamento, sozinho, se ouvisse o sino da capela próxima a tocar na noite seguinte. Ao fazer isso, testemunhou uma aparição de Jesus na cruz. Eufórico, ouviu Jesus prometendo vitórias para as batalhas que viessem, dizendo que Deus desejava agir através de Afonso e seus descendentes, a fim de criar um império que levaria seu nome para terras desconhecidas, escolhendo o português para realizar grandes tarefas.

Impulsionado por esta experiência espiritual, Afonso Henriques ganhou a batalha contra um inimigo poderoso. Diz a lenda que Afonso Henriques matou os cinco reis mouros das taifas de Sevilha, Badajoz, Elvas, Évora e Beja, antes de dizimar as tropas inimigas. Assim, em gratidão a Jesus Cristo, incorporou cinco escudos dispostos em forma de cruz cristã, representando a vitória divina conduzida sobre os cinco reis inimigos cada um carregando com as cinco chagas de Cristo na forma de besantes de prata. A soma de todos os besantes (sendo os besantes centrais contados duas vezes) daria trinta, simbolizando os 30 dinheiros que Judas teria recebido pela traição a Jesus Cristo.

No entanto, as evidências indicam que o número de besantes em cada escudo foi superior a cinco durante longos períodos a seguir ao reinado de Dom Afonso Henriques, bem como o facto de que somente no século XV, esta lenda ser registada numa crônica de Fernão Lopes (1419), suporta esta explicação como um puro mito altamente carregado de sentimento patriótico no sentido de que Portugal foi criado por uma intervenção divina e estava destinado a grandes feitos.

Os sete castelos são tradicionalmente considerados um símbolo das vitórias portuguesas sobre os seus inimigos mouros, durante o reinado de D. Afonso III, que supostamente conquistou sete fortalezas inimigas durante a conquista do Algarve, concluída em 1249. No entanto, esta explicação é fraca, uma vez que este rei não tinha sete castelos na sua bandeira, mas sim, um número não especificado. Algumas reconstruções exibem cerca de dezasseis castelos, sendo este número alterado para doze em 1385, e sendo apenas fixado em sete em 1485. Uma hipótese sobre a origem dos castelos na borda vermelha encontra-se nos laços de família de D. Afonso III com Castela (sua mãe e segunda mulher eram castelhanas), cujos brasões consistiam num castelo dourado sobre um campo vermelho.

Canhotas,

Dep. Protocolo
Agrupamento 342 de Vialonga

342 Logo Sede Virtual

Fonte: Wikipedia – Bandeira de Portugal

Partilha este artigo:

Facebooktwittergoogle_pluspinterestlinkedintumblrmail

Bandeira de Portugal – Etiqueta e protocolo

Bandeira de Portugal

Esperamos que este artigo venha esclarecer a etiqueta e protocolo associado à Bandeira de Portugal.

 

Modo de dobrar (clica no quadro para veres melhor)

Bandeira de Portugal - Modo de dobrar

 

Bandeira de Portugal quando hasteada com outras bandeiras

Quando hasteada, conjuntamente com outras bandeiras, a Bandeira de Portugal deverá ter sempre precedência sobre todas as restantes. Esta precedência aplica-se a todas as bandeiras incluindo a Bandeira da União Europeia, bandeiras nacionais estrangeiras, bandeiras regionais, bandeiras municipais, bandeiras privadas e outras. Devem ser seguidas as seguintes regras genéricas:

  1. A Bandeira de Portugal deverá ser sempre de dimensão superior ou igual à das outras bandeiras;
  2. Se forem hasteadas 2 ou mais bandeiras no mesmo mastro, a Bandeira de Portugal ocupará o topo do mesmo;
  3. Se existirem 2 mastros a Bandeira de Portugal ocupará o da direita (de quem está de costas para o edifício ou recinto);
  4. Se existirem 3 mastros, a Bandeira de Portugal ocupará o do centro;
  5. Se existirem 4 ou mais mastros, a Bandeira de Portugal ocupará o mais à direita (de quem está de costas para o edifício ou recinto);
  6. Se existirem mastros de diferentes alturas, a Bandeira Nacional ocupará sempre o topo do mais alto.

 

Bandeira a meia haste

Em ocasiões de luto nacional ou local, as autoridades podem decretar que a Bandeira de Portugal seja hasteada a meia haste, segundo as seguintes regras:

  1. Antes de ser colocada a meia haste, a Bandeira de Portugal é içada até ao topo da haste e, só depois, é descida até meio;
  2. Depois de ter sido colocada a meia haste, para ser arriada, volta a ser içada até ao topo e, só então é descida;
  3. Qualquer outra bandeira que seja hasteada conjuntamente com a Bandeira de Portugal também terá que ser colocada a meia haste se aquela o fôr.

 

Modo de içar e de arriar

A Bandeira de Portugal deverá ser içada de forma viva e enérgica, mas deverá ser arriada de forma lenta e cerimoniosa.

Quando sejam hasteadas várias bandeiras em conjunto, a Bandeira de Portugal deverá ser a primeira a ser içada e a última a ser arriada.

 

Dias e locais onde deve ser hasteada

A Bandeira de Portugal deverá ser hasteada todos os dias, no seguintes locais:

  1. Sedes dos órgãos de Soberania Nacional.

Deverá ser hasteada, pelo menos, aos domingos, feriados e em outros dias em que tal seja decretado pelas autoridades competentes, nos seguintes locais:

  1. Instalações de outros órgãos das administrações públicas, central, regional e local;
  2. Sedes de institutos e de empresas públicas;
  3. Monumentos nacionais.

Além daqueles, a Bandeira de Portugal pode ser hasteada em qualquer outro local – público ou privado – desde que sejam cumpridas as regras do protocolo e das precedências.

Nos dias e locais onde a Bandeira de Portugal seja hasteada deve ser içada às 9h00 e arriada ao pôr do Sol. Opcionalmente, a Bandeira de Portugal pode permanecer hasteada durante a noite, se estiver iluminada por holofotes.

 

As regras gerais para o uso da Bandeira de Portugal estão definidas pelo Decreto-Lei nº 150/87. Deve seguir-se, além disso, o que está estabelecido pela tradição e pelas regras protocolares internacionais.

 

Canhotas,

Dep. Protocolo
Agrupamento 342 de Vialonga

342 Logo Sede Virtual

Fonte: Wikipedia – Bandeira de Portugal

Partilha este artigo:

Facebooktwittergoogle_pluspinterestlinkedintumblrmail

Fardas da IVª Secção

O fardamento é composto por 2 fardas: a farda oficial e a farda de campo. Este artigo descreve o que compõe ambas as fardas. Existem peças de roupa e calçado que podem variar consoante o número de dias que uma atividade pode durar.

Nota: Se pretenderes saber tudo sobre fardas basta acederes aqui.

 

Farda oficial:

  • Comprar na Loja Escutista (depósito):
    • Lenço vermelho com:
      • Distintivo de região
      • Anilha
    • Camisa com:
      • Distintivo de secção (manga esquerda)
      • Distintivo do bando (manga esquerda)
      • Distintivo de função (bolso esquerdo)
      • Distintivo de promessa (bolso esquerdo)
      • Distintivo comemorativo (bolso direito).
    • Saia / calção (sem bolsos)
    • Meias (com jarreteiras vermelhas)
    • Chapéu BP (com distintivo mundial)
    • Polo azul (facultativo)
  • Adquirir na sede:
    • Distintivo de núcleo (manga direita)
    • Distintivo de agrupamento (manga direita)

 

Farda de campo:

  • Comprar na Loja Escutista (depósito):
    • Calção de campo (com bolsos) / calça de fato de treino
    • Sweatshirt
  • Adquirir na sede:
    • T-shirt vermelha

 

Outras peças:

  • Roupa interior (cuecas/boxers, soutien)
  • Meias normais (para além das meias da farda)
  • Agasalho para a noite
  • Gorro
  • Kispo / impermeável
  • Ténis ou bota, para mudar se for necessário
  • Sapatos ou botas pretos ou castanhos
  • Calção curto para vestir por baixo da saia

 

Atenção:

A loja já tem pagamento por multibanco.

Horário de funcionamento:
2ª a 6ª das 10h às 19h  » sábado das 9h às 12.45h  não encerra para almoço.

Importante:

Marquem a roupa toda com o vosso primeiro e último nome bem como com o número e nome do agrupamento!

E agora vê lá se consegues ajudar a localizar todas as insígnias e distintivos:

  • Distintivo mundial (chapéu BP)
  • Insígnia da Região de Lisboa (lenço)342 Seccao IV Distintivos
  • Distintivo do agrupamento “342 Vialonga” (manga direita)
  • Distintivo do “Núcleo Solárius” (manga direita)
  • Distintivo de secção (manga esquerda)
  • Distintivo do bando (manga esquerda)
  • Insígnia de Portugal
  • Distintivo de função (bolso esquerdo)
  • Insígnia da promessa (bolso esquerdo)
  • Insígnia comemorativa (bolso direito)
  • Insígnia com a divisa “Alerta” e o nome da associação CNE (cinto)

 

Sabes qual é a diferença entre insígnias e distintivos? As insígnias incorporam letras ou números na imagem e os distintivos não.

 

Secção IV – Caminheiros
Agrupamento 342 de Vialonga

 

Partilha este artigo:

Facebooktwittergoogle_pluspinterestlinkedintumblrmail

Fardas da IIIª Secção

O fardamento é composto por 2 fardas: a farda oficial e a farda de campo. Este artigo descreve o que compõe ambas as fardas. Existem peças de roupa e calçado que podem variar consoante o número de dias que uma atividade pode durar.

Nota: Se pretenderes saber tudo sobre fardas basta acederes aqui.

 

Farda oficial:

  • Comprar na Loja Escutista (depósito):
    • Lenço azul com:
      • Distintivo de região
      • Anilha
    • Camisa com:
      • Distintivo de secção (manga esquerda)
      • Distintivo do bando (manga esquerda)
      • Distintivo de função (bolso esquerdo)
      • Distintivo de promessa (bolso esquerdo)
      • Distintivo comemorativo (bolso direito).
    • Saia / calção (sem bolsos)
    • Meias (com jarreteiras azuis)
    • Chapéu BP (com distintivo mundial)
    • Polo azul (facultativo)
  • Adquirir na sede:
    • Distintivo de núcleo (manga direita)
    • Distintivo de agrupamento (manga direita)

 

Farda de campo:

  • Comprar na Loja Escutista (depósito):
    • Calção de campo (com bolsos) / calça de fato de treino
    • Sweatshirt
  • Adquirir na sede:
    • T-shirt azul

 

Outras peças:

  • Roupa interior (cuecas/boxers, soutien)
  • Meias normais (para além das meias da farda)
  • Agasalho para a noite
  • Gorro
  • Kispo / impermeável
  • Ténis ou bota, para mudar se for necessário
  • Sapatos ou botas pretos ou castanhos
  • Calção curto para vestir por baixo da saia

 

Atenção:

A loja já tem pagamento por multibanco.

Horário de funcionamento:
2ª a 6ª das 10h às 19h  » sábado das 9h às 12.45h  não encerra para almoço.

Importante:

Marquem a roupa toda com o vosso primeiro e último nome bem como com o número e nome do agrupamento!

E agora vê lá se consegues ajudar a localizar todas as insígnias e distintivos:

  • Distintivo mundial (chapéu BP)
  • Insígnia da Região de Lisboa (lenço)342 Seccao III Distintivos
  • Distintivo do agrupamento “342 Vialonga” (manga direita)
  • Distintivo do “Núcleo Solárius” (manga direita)
  • Distintivo de secção (manga esquerda)
  • Distintivo do bando (manga esquerda)
  • Insígnia de Portugal
  • Distintivo de função (bolso esquerdo)
  • Insígnia da promessa (bolso esquerdo)
  • Insígnia comemorativa (bolso direito)
  • Insígnia com a divisa “Alerta” e o nome da associação CNE (cinto)

 

Sabes qual é a diferença entre insígnias e distintivos? As insígnias incorporam letras ou números na imagem e os distintivos não.

 

Secção III – Pioneiros
Agrupamento 342 de Vialonga

 

Partilha este artigo:

Facebooktwittergoogle_pluspinterestlinkedintumblrmail

Fardas da IIª Secção

O fardamento é composto por 2 fardas: a farda oficial e a farda de campo. Este artigo descreve o que compõe ambas as fardas. Existem peças de roupa e calçado que podem variar consoante o número de dias que uma atividade pode durar.

Nota: Se pretenderes saber tudo sobre fardas basta acederes aqui.

 

Farda oficial:

  • Comprar na Loja Escutista (depósito):
    • Lenço verde com:
      • Distintivo de região
      • Anilha
    • Camisa com:
      • Distintivo de secção (manga esquerda)
      • Distintivo do bando (manga esquerda)
      • Distintivo de função (bolso esquerdo)
      • Distintivo de promessa (bolso esquerdo)
      • Distintivo comemorativo (bolso direito).
    • Saia / calção (sem bolsos)
    • Meias (com jarreteiras verdes)
    • Chapéu BP (com distintivo mundial)
    • Polo azul (facultativo)
  • Adquirir na sede:
    • Distintivo de núcleo (manga direita)
    • Distintivo de agrupamento (manga direita)

 

Farda de campo:

  • Comprar na Loja Escutista (depósito):
    • Calção de campo (com bolsos) / calça de fato de treino
    • Sweatshirt
  • Adquirir na sede:
    • T-shirt verde

 

Outras peças:

  • Roupa interior (cuecas/boxers, soutien)
  • Meias normais (para além das meias da farda)
  • Agasalho para a noite
  • Gorro
  • Kispo / impermeável
  • Ténis ou bota, para mudar se for necessário
  • Sapatos ou botas pretos ou castanhos
  • Calção curto para vestir por baixo da saia

 

Atenção:

A loja já tem pagamento por multibanco.

Horário de funcionamento:
2ª a 6ª das 10h às 19h  » sábado das 9h às 12.45h  não encerra para almoço.

Importante:

Marquem a roupa toda com o vosso primeiro e último nome bem como com o número e nome do agrupamento!

E agora vê lá se consegues ajudar a localizar todas as insígnias e distintivos:

  • Distintivo mundial (chapéu BP)
  • Insígnia da Região de Lisboa (lenço)342 Seccao II Distintivos
  • Distintivo do agrupamento “342 Vialonga” (manga direita)
  • Distintivo do “Núcleo Solárius” (manga direita)
  • Distintivo de secção (manga esquerda)
  • Distintivo do bando (manga esquerda)
  • Insígnia de Portugal
  • Distintivo de função (bolso esquerdo)
  • Insígnia da promessa (bolso esquerdo)
  • Insígnia comemorativa (bolso direito)
  • Insígnia com a divisa “Alerta” e o nome da associação CNE (cinto)

 

Sabes qual é a diferença entre insígnias e distintivos? As insígnias incorporam letras ou números na imagem e os distintivos não.

 

Secção II – Exploradores

Agrupamento 342 de Vialonga

 

Partilha este artigo:

Facebooktwittergoogle_pluspinterestlinkedintumblrmail

Fardas da Iª Secção

O fardamento é composto por 2 fardas: a farda oficial e a farda de campo. Este artigo descreve o que compõe ambas as fardas. Existem peças de roupa e calçado que podem variar consoante o número de dias que uma atividade pode durar.

Nota: Se pretenderes saber tudo sobre fardas basta acederes aqui.

 

Farda oficial (este uniforme é usado em cerimónias e actividades exteriores):

  • Comprar na Loja Escutista (depósito):
    • Lenço amarelo com:
      • Distintivo de região
      • Anilha
    • Camisa com:
      • Distintivo de secção (manga esquerda)
      • Distintivo do bando (manga esquerda)
      • Distintivo de promessa (bolso esquerdo)
      • Distintivo comemorativo (bolso direito).
    • Saia / calção (sem bolsos laterais)
    • Cinto
    • Meias (azuis com jarreteiras amarelas)
    • Boina (com distintivo Bureau Mundial)
    • Polo azul (facultativo)
  • Adquirir na sede:
    • Distintivo de núcleo (manga direita)
    • Distintivo de função (bolso esquerdo)
    • Distintivo de agrupamento (manga direita)

 

Farda de campo (este  uniforme  é  usado  na  sede  e  em actividades de campo):

  • Comprar na Loja Escutista (depósito):
    • Calção de campo (com bolsos laterais) / calça de fato de treino
    • Sweatshirt (camisola Scouts com ou sem capuz)
    • T-shirt amarela
    • Boné

 

Outras peças:

  • Roupa interior (cuecas/boxers, soutien)
  • Meias normais (para além das meias da farda)
  • Agasalho para a noite
  • Gorro
  • Kispo / impermeável
  • Ténis ou bota, para mudar se for necessário
  • Sapatos ou botas pretos ou castanhos
  • Calção curto para vestir por baixo da saia

 

Os distintivos devem ser cosidos com um espaçamento de +/- 1 dedo.
Qualquer dúvida relativa aos distintivos perguntar à equipa de animação.
O distintivo de PROMESSA é entregue à Aquelá!

 

Atenção:

A loja já tem pagamento por multibanco.

Horário de funcionamento:
2ª a 6ª das 10h às 19h  » sábado das 9h às 12.45h  não encerra para almoço.

Importante:

Marquem a roupa toda com o vosso primeiro e último nome bem como com o número e nome do agrupamento!

 

E agora vê lá se consegues ajudar a localizar todas as insígnias e distintivos:

  • Distintivo mundial (boina)
  • Insígnia da Região de Lisboa (lenço)342 Seccao I Distintivos
  • Distintivo do agrupamento “342 Vialonga” (manga direita)
  • Distintivo do “Núcleo Solárius” (manga direita)
  • Distintivo de secção (manga esquerda)
  • Distintivo do bando (manga esquerda)
  • Insígnia de Portugal
  • Distintivo de função (bolso esquerdo)
  • Insígnia da promessa (bolso esquerdo)
  • Insígnia comemorativa (bolso direito)
  • Insígnia com a divisa “Alerta” e o nome da associação CNE (cinto)

 

Sabes qual é a diferença entre insígnias e distintivos? As insígnias incorporam letras ou números na imagem e os distintivos não.

 

Secção I – Lobitos
Agrupamento 342 de Vialonga

 

Partilha este artigo:

Facebooktwittergoogle_pluspinterestlinkedintumblrmail