Ensinar a regra “Aqui ninguém toca”

Aqui ninguem toca

Aqui ninguém toca” é um sítio com recursos que podem ajudar uma criança, numa linguagem que todas percebem, a saber onde outros podem ou não tocar para evitar os abusos sexuais. Lá tem uma história simples mas cheia de sentido que diz: “E se alguém o fizer, deves contar a um adulto de confiança. Não guardes segredo!”, porque se existe o toque bom e o toque mau, o escuro bom e o escuro mau, também há segredos bons e segredos maus e principalmente estes últimos devem ser do conhecimento de quem realmente se preocupa com elas.

Não esquecer que “Se suspeitar que o seu filho foi vítima de abuso, é muito importante que não se zangue com ele. Evite que a criança sinta que fez alguma coisa errada.” porque se houve alguém que errou foi quem mexeu ou quis mexer no sítio errado.

Mas e se a criança simplesmente não conta o segredo mau? Existe este poster publicado por “New Jersey Department of Children and Families” que pode ajudar a identificar abuso ou negligência física, bem como abusos sexuais ou maus tratos emocionais.

Algumas boas práticas para as crianças (pais e tutores têm de ajudar):

  • Identificar uma lista de pares e adultos bons – hoje em dia não chega dizer “não fales para estranhos”;
  • Fugir para um lugar seguro e próximo do percurso habitual;
  • Decorar pelo menos um número de telemóvel de um adulto bom para dar ao dono do lugar seguro, ao polícia ou a qualquer outro agente de segurança;
  • Gritar bem alto até se sentir seguro(a);
  • Saber dizer “não” para quem assuste com pedidos ou ordens estranhas. Não é só dizer não às drogas mas também às cócegas, beijos, e outros tipos de toques suspeitos, mesmo que venham de pessoas de família bem próxima;
  • Brincar ao jogo “E se…”, por exemplo, “a bicicleta se avariasse e alguém te oferecia boleia”, ou então, “a ama fizesse algo e te pedisse para guardar segredo”?
  • Saber quais são as zonas íntimas em que ninguém deve tocar;
  • Saber que têm direito à sua privacidade e que quaisquer adultos a devem respeitar.
  • Contar tudo a um dos adultos bons, seja assustador ou embaraçoso, sabendo à partida que os adultos bons estarão prontos para ouvir, acreditar e ajudar a proteger de todo o mal.

 

Agrupamento 342 de Vialonga

342 Logo Sede Virtual

Partilha este artigo:

Facebooktwittergoogle_pluspinterestlinkedintumblrmail